Slide # 1

VOLTANDO COM CARGA TOTAL!

O projeto de reativar o blog surgiu a partir da necessidade de noticiar os fatos sem cunho sensacionalista e sem a exposição de ofensas que desmerecem e desrespeitam as pessoas. Mais informações »

Slide # 2

INSTAGRAM E WHATSAPP GANHAM INTERAÇÃO PARA COMPARTILHAR FOTOS

Hoje (24), o Instagram ganhou uma integração com o WhatsApp. Os aplicativos, ambos comprados pelo Facebook, agora vão trabalhar juntos no compartilhamento de fotos... Mais informações »

Slide # 3

PRECISAMOS EVOLUIR, PRECISAMOS PENSAR

O brasileiro (em sua maioria) é um ser que precisa urgentemente de vergonha na cara e aprender a respeitar Leis, limites e ser gente de verdade. Precisa encontrar Deus... Mais informações »

Slide # 4

POR R$ 0,20 CENTAVOS

Dois anos atrás, fizeram dezenas de protestos por causa do aumento de R$ 0,20 centavos na passagem de ônibus (e não adianta dizer que não foi só por isso, pois se... Mais informações »

Slide # 5

SE O TROCO FALTAR, É SEU DIREITO TER ARREDONDAMENTO DO VALOR PARA BAIXO

Se você andar em qualquer tipo de comércio, vai perceber a enorme quantidade de produtos que possuem um “valor fantasioso”, como R$1,99... Mais informações »

segunda-feira, 25 de maio de 2015


A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE), através da Polícia Científica, anunciou nesta segunda-feira (25) o funcionamento do Banco de Dados de Perfis Genéticos “CODIS”, que reúne informações biológicas de condenados por crimes hediondos (homicídio, latrocínio, estupro). O sistema, em atividade desde março deste ano, foi doado pelo FBI e está integrado com outros 18 bancos de dados genéticos de todo Brasil, sob a coordenação da Polícia Federal. Com isso, criminosos que tenham suas informações genéticas armazenadas podem ser identificados com mais agilidade e em diversas partes do mundo.

Para alimentar o banco de dados, a Polícia Científica coletou, em 2014, amostras de 800 detentos da Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, no Grande Recife. Deste total, 270 perfis de criminosos já foram traçados e os 530 restantes devem ser incorporados ao CODIS até o final deste primeiro semestre. Após conclusão desta etapa será a vez dos condenados que cumprem pena no Complexo Prisional do Curado, ainda sem data definida. 

A iniciativa de coletar amostras biológicas de condenados por crimes hediondos no Brasil está apoiada na Lei nº 12.654/12​, no entanto é pioneira no País uma vez que os demais bancos de dados do Brasil não contam com amostras de condenados. A gerente geral de Polícia Científica, Sandra Santos, acredita que com esta inovação será possível evitar crimes e salvar vidas. “Hoje nós temos uma série de casos detectados a partir do banco de dados genético. Assim você pode pegar um suspeito caso ele esteja no nosso banco de dados e tenha deixado algum vestígio no local do crime”, explicou.

Agora integrado nacionalmente, o banco de dados faz parte das ferramentas do Laboratório de Perícia e Pesquisa em Genética Forense, implantado em 2012 no Estado, Inicialmente o sistema recrutava apenas infomarções genéticas de cadáveres sem identificação, familiares de pessoas desaparecidas e vestígios biológicos encontrados em locais de crimes (fluidos, ossos, cabelos,etc). 

Estima-se que atualmente o banco de dados reúna amostras de 15 perfis de grupos familiares de pessoas desaparecidas, aproximadamente 100 perfis encontrados em vestígios, sendo a maioria de crimes de agressão sexual. Hoje o Laboratório de Perícia e Pesquisa em Genética Forense auxilia diversos estados do Norte/Nordeste que ainda não dispõem de laboratórios implantados, a exemplo do Maranhão, Sergipe, Piauí, Acre, Tocantins e Alagoas.​

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não se responsabiliza por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.